Ar-Condicionado Automotivo e Agrícola é Pauta na ABRAVA

ABRAVA cria Departamento Nacional de Ar-condicionado Automotivo e Agrícola

A ABRAVA – Associação Brasileira, Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação, Aquecimento amplia seu escopo de atuação e cria o Departamento Nacional de Ar-condicionado Automotivo e Agrícola. O objetivo do grupo é preencher uma lacuna para o setor com foco em normalização, dados de mercado, tributação, capacitação de mão de obra, qualidade e garantia de peças e serviços, entre outros assuntos a serem debatidos pelos profissionais atuantes neste mercado.

De acordo com o primeiro presidente eleito para a gestão do DN, Sérgio Eugênio, engenheiro mecânico e diretor da Super Ar, “É uma satisfação estar na ABRAVA. Ninguém melhor poderia nos dar este suporte e infraestrutura, com todo seu know- how para fazer isto acontecer, trazendo benefícios às   pequenas, médias e grandes empresas do setor. Não poderíamos ficar sem representatividade no mercado nacional, onde todos os grandes players do sistema atuam com fábrica no Brasil. Sem contar com o enorme número de oficinas e centros técnicos especializados pelo país, onde carece de informação técnica especializada para manutenção e conservação dos equipamentos”

A primeira gestão do Departamento ficou a cargo de Sérgio Eugênio Silva como presidente e como membros de sua diretoria, Carlos D.Mioraes, Flavio L.Vasconcelos, Jonathan Dumke ,  Marco A.Peruccido e o vice-presidente de Meio Ambiente da ABRAVA – Paulo Neulaender

Diversas reuniões foram realizadas até a definição do escopo a ser tratado para o DN de Ar-condicionado Automotivo e Agrícola e sua oficial criação em cumprimento ao Compliance da Associação. Na agenda de ações, diversos assuntos ligados ao setor como:  Normalização para Limpeza e Higienização de Ar Condicionado Veicular e sobre rodas; Qualidade e garantia das Peças e Serviços; Participação na FEBRAVA 2019; Elaboração de cursos para formação de mão de obra; Assuntos ligados às alíquotas de impostos e Classificação fiscal; Certificação de oficinas e mão de obra, Perfil mercadológico do setor; entre outros assuntos de interesse do setor.

Uma das novidades é que o primeiro curso de formação de mão de obra já está agendado para o dia 11 de agosto, na sede da ABRAVA em SP. Mais informações sobre o curso como programação e investimento podem ser consultadas no site da associação, na seção cursos.

No processo de formação do DN, foi identificado que algumas das empresas associadas tem o perfil de atuação no segmento do DN, como Armacell, Bitzer, Chemours Danfoss, EBM-Papst, K11 e Motorpool. As filiações ao DN já foram iniciadas e até o momento estão confirmadas:  ACA, Auto Ar, Car Fresh, Friovel, Machado, Royce, Super Ar, S-Tech Auto, Team Systems e Thermoklima. Em fase de aprovação Denso, Italytec, Mahle e Samatec.

Entre os assuntos já tratados está a norma técnica da ABNT – NBR 15629 de 2007, pouco conhecida e difundida no setor, e que até agora encontra-se sem revisão, além das relativas a peças SAE (Society of Automotive Engineers – EUA) J639, SAE J2064, SAE J3062, ISO 14269, ABNT 15681, ABNT 15759.  Ficou acordado a necessidade de coletar dados e informações de legislação vigente em qualquer nação para que possam servir de balizamento, a fim de elaboração de uma norma técnica. A iniciativa tem apoio do Sindirepa que é o Sindicato do setor.

Um pouco de história neste setor

O automóvel sempre foi uma paixão dos brasileiros desde o início do século passado quando os irmãos Dumont trouxeram o primeiro automóvel. As tecnologias dos materiais foram se desenvolvendo e utilizadas nos veículos, mudando de estilo e dando mais conforto aos usuários. Dentre os tais, não poderíamos deixar de falar do climatizador de ar que chegou tímido nos anos 80, onde a sensação eram os acessórios como trio elétrico e ficou cada vez mais atrevido nos anos 90 quando a Fiat popularizou o sistema como item de série em alguns modelos.

Atualmente o mercado de automóveis produz quase 3 milhões de automóveis, e 80% deles já saem de fábrica equipados com ar-condicionado, isso sem contar com o mercado agrícola atrelado ao agronegócio e as maquinas fora de estrada, as quais só operam se tiver com climatizador. Existem ainda, o mercado de ônibus de turismo e urbano, transporte de frigoríficos e outros.

As reuniões são coordenadas por Nelson Baptista, a próxima ficou agendada para o mês de agosto. Pelo motivo de as empresas participantes estarem distribuídas por diversos Estados e regiões, algumas participações são feitas via Skype.

Momento Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *